História

PL E PRONA PROMOVEM FUSÃO

APRESENTAÇÃO:

O Partido da República é o mais jovem dos partidos do primeiro time da política brasileira. Produto da fusão que uniu o PL e o PRONA em um novo partido – 26 de outubro de 2006 -, a legenda republicana nasceu sob o comando de um liberal histórico, o professor Sérgio Tamer.

A indicação do nome do professor Sergio Tamer para presidir o Partido da República remontou a inspiração dos fundadores do Partido da República de Álvaro Valle.

Professor como o saudoso Alvaro Valle, o perfil de Tamer acumulou coincidências que aproximaram a nova legenda do liberalismo social, legado pelos fundadores do PL em 1986.

Os valores e os princípios que constituíram o Partido da República e o PRONA foram mesclados para a fundação do Partido da República. Valores que combinam os fundamentos do nacionalismo de Enéas Carneiro à doutrina do liberalismo social defendido por Alvaro Valle.

Comprometido com o regime democrático, a doutrina proposta pelos republicanos do PR busca a realização do Bem Comum numa sociedade livre, pluralista e participativa.

O ideal de liberdade do PR está consignado na reafirmação da “crença na Pessoa livre, titular de direitos naturais e inalienáveis”. E este princípio abrange a sociedade como unidade orgânica, a organização Política como fator de administração da sociedade, dirigida ao Bem Comum.

Para o Partido da República a pessoa deve ser valorizada na individualidade. Para os estamentos do PR, uma visão ideológica do Estado e da Sociedade faz com que o Homem se fracione, esquecendo sua qualidade de ser concreto, a grandeza de sua origem e de sua missão pessoal.

A criação do PR consignou o respeito aos valores naturais como único limite à liberdade individual. A consciência desses valores éticos insere o indivíduo em sua sociedade natural, histórica e humana, permitindo-lhe a plena realização das potencialidades.

Para o PR o Estado deve ser o gerador das garantias dos direitos humanos, promotor e guardião do Bem Comum. O Estado institucionaliza o poder com exclusivo objetivo de promover o Bem Social. Só se justifica quando é instrumento para a eliminação de todas as formas de dominação entre os homens.

O combate à pobreza e injustiça social frentes fundamentais para a ação política do PR. Para os republicanos estas mazelas representam a irresponsabilidade coletiva da sociedade e caracterizam o erro do Estado, que deve entender o Homem como a razão e a finalidade de todas as instituições.

Como decorrência natural dos principais fundamentos republicanos, o PR identifica a militância política como meio para o alcance de seus propósitos. O Partido entende a Política como atividade essencialmente ética, que busca a formação de estruturas de poder e de governo, livres e democráticos. Defensor do pluralismo e questionador das fórmulas ideológicas, o PR propõe que a Política é um instrumento permanente de luta pelo Bem Comum e pela liberdade individual. Para o PR a política deve estar subordinada aos princípios do Humanismo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *